Gestão de ativos: entenda a importância para o setor de TI

Gestão de Ativos: entenda a importância para o setor de TI
gestao-de-ativos-entenda-a-importancia-para-o-setor-de-ti

“A gestão de ativos cuida de todos os componentes tecnológicos, físicos e virtuais de uma empresa. Sua atuação inclui o controle de hardwares, computadores, integrações e demais itens que compõe as inovações do negócio e que são de patrimônio da empresa.”

O departamento de tecnologia é responsável pelo constante funcionamento de vários setores da empresa. Dessa forma, é importante que ele esteja atualizado, por dentro das tendências e com as melhores ferramentas.

Para que isso seja feito, existe um conceito chamado Gestão de Ativos. Sua função é cuidar dos componentes tecnológicos – sejam eles físicos ou virtuais – evitando assim o desperdício de recursos com investimentos ineficientes.

Quer saber quais as vantagens da gestão de ativos e como aplicar no setor de TI da sua empresa? Continue a leitura e mãos à obra!

Quais os benefícios da gestão de ativos de TI?

Segundo dados do Gartner, a gestão de ativos de TI, poderá proporcionar redução de custos de 30% por ativo no primeiro ano, e de 5% a 10% nos subsequentes.

Aplicando a gestão de ativos no setor de TI, você passa a monitorar todos os elementos, versões, conexões, volume de utilização entre outras características, e, consequentemente, o acesso a possíveis falhas de arquitetura e perda de performance.

Diante disso, é possível estabelecer um plano de evolução contínuo, capaz de prever novas tendências e identificar quais recursos podem ser mantidos ou substituídos, a fim de manter um setor de TI pautado na qualidade e na segurança.

Como implantar e fazer uma boa gestão dos ativos de TI?

Para que a gestão de ativos seja percebida por seu valor estratégico, deve haver organização e nesse sentido algumas etapas são indispensáveis. Conheça abaixo;

Prepare um inventário

Elaborar o inventário dos ativos, apoia a empresa a saber quais itens tem à disposição, assim como os que necessitam de reparo.

Hardwares, softwares e sistemas precisam ser catalogados e analisados a fim de manter a estrutura de TI o mais atualizado e alinhada possível com a estratégia da empresa.

O inventário dos ativos pode ser elaborado com base em informações administrativas (data de compra, informações de garantia, custo) e técnicas (tipo, fabricante, status, dados de hardware, softwares instalados etc.).

Acompanhe o ciclo de vida dos ativos

Ativos de software e hardware passam por um ciclo diferente.

Quando os ativos mudam de estágio, o repositório central deve ser informado e atualizado com informações como: motivo, data, hora, usuário que realizou a modificação e mais.

O acompanhamento do ciclo de vida gera maior controle sobre os ativos, bem como melhores tomadas de decisão sobre compra, reparo ou atualização, prolongando a vida útil do sistema.

Automatize alertas

A equipe de TI precisa sempre ser comunicada sobre as alterações na infraestrutura de TI.

Nesse contexto, é possível notificar os responsáveis para que sejam sempre alertados sobre as alterações por meio de alerta automáticos. Essa é a maneira mais rápida para corrigir falhas antes que elas gerem impactos mais graves.

Integre as informações

Poder reunir todos as informações de diferentes fontes e cruzar dados em um único local, facilita muito a vida dos gestores. Por meio de um sistema integrado, é possível avaliar melhor as respostas de cada ativo para cada solicitação.

Por exemplo, um sistema de help desk permite que o registro de um determinado ticket de suporte seja rapidamente associado a um determinado ativo de hardware, definindo a causa da demanda e armazenando um histórico que pode ser usado no futuro para influenciar um possível investimento.

Gostou do post e quer aprender um pouco mais? Leia também o nosso artigo “Tempo de primeira resposta no atendimento: importância da mensuração” e fique por dentro desse conceito.

Deixe seu comentário

Leia também: