OKR: como implementar essa metodologia nas empresas?

OKR é um acrônimo de objectives and key results - ou seja, objetivos e resultados-chave, e este é um método capaz de determinar, de maneira simples e legível, os resultados futuros e desejados em determinada área. Confira nossos exemplos no post!

okr

Há muito se discute sobre objetivos e metas, que funcionam como uma bússola e ajudam a direcionar toda a equipe de profissionais. Existem diferentes maneiras de estabelecer esses resultados futuros desejados, como o método SMART. No entanto, a partir dos anos 90, o método OKR ganhou destaque.

Em resumo, OKR é um acrônimo de objectives and key results — ou seja, objetivos e resultados-chave.

Algumas empresas são referência mundial na sua aplicação, como é o caso do Google. Todavia, o que torna esse método mais atraente é sua capacidade de fragmentar objetivos e torná-los realmente aplicáveis no expediente.

Nos tópicos seguintes, explicamos cuidadosamente o que é OKR e como utilizá-lo no dia a dia de trabalho, também oferecemos alguns exemplos práticos. Para conferir, continue a leitura!

Baixe agora o e-book Em Busca da Felicidade e aprenda a motivar o seu time de suporte, fortalecendo seu OKR.

Primeiro, o que é OKR e quais seus benefícios?

O OKR (objective and key results) é um método capaz de determinar, de maneira simples e legível, os resultados futuros e desejados em determinada área.

Para tal fim, começa com a definição de um objetivo genérico; logo em seguida promove a fragmentação dessa meta maior em resultados-chave, que são menores e mais fáceis de serem medidos e alcançados.

Confira, abaixo, um exemplo de OKR:

  • Objective: tornar a empresa financeiramente atraente
  • Key-result 1: maximizar a margem de lucro em 5%;
  • Key-result 2: reduzir os custos fixos em R$ 1.000.000,00;
  • Key-result 3: aumentar em 30% o ticket médio da venda.

Como é possível observar, o OKR não é apenas uma declaração detalhada do futuro (como é o caso da meta tradicional). É algo mais polido, que indica um objetivo e os resultados necessários para alcançá-lo. A ideia é que quando se atingir esses resultados-chave, o objetivo também estará completo.

Existem muitas vantagens ligadas ao OKR.

A primeira é sua estrutura simples, que pode ser compreendida com mais facilidade pelos colaboradores. A segunda está ligada ao seu potencial estratégico de transformar algo grandioso (o objetivo) em pequenos passos. Há, ainda, seu visual elegante e atraente.

Como estruturar uma OKR de maneira acertada?

O processo de criação de uma OKR é relativamente simples. Nos tópicos seguintes, explicamos seus passos.

Defina seu objetivo para o futuro

“Se você não sabe para onde quer ir, qualquer caminho serve”, diz um velho ditado.

Na administração, o objetivo é de grande relevância, pois garante que todos os envolvidos sigam na mesma direção. Sem uma meta clara, é impossível falar em OKR ou mesmo em alinhamento. Portanto, o primeiro passo é defini-la.

O objetivo precisa ser expresso de maneira simples, sem muitos rodeios e com algum viés inspirador.

Por exemplo “oferecer uma experiência incrível de pós-venda” ou “deixar a empresa financeiramente enxuta”. Ele deve ter prazo bem definido, mas não deve ser algo muito distante — talvez 1 ano, no máximo.

Fragmente seus objetivos em resultados-chave

Por vezes, o objetivo causa uma sensação de impotência. Como é algo grande e pouco delimitado, os colaboradores não sabem exatamente por onde começar a atuar.

Nesse momento, os resultados-chave (key results) possuem grande relevância. Eles vão fragmentar seu objetivo, tornando-o legível e prático.

Para definir os key results pense: “quais são os resultados necessários para a realização desse objetivo?”.

O interessante é definir entre 3 e 5 resultados-chave, que devem ser alcançados até o prazo limite do seu objetivo. No fim das contas, terá um objetivo dividido em pequenos resultados. Isso é bem interessante.

Avalie as tarefas necessárias para cada key result

Não é algo obrigatório, mas o ideal é que você vá ainda mais fundo e estabeleça as tarefas necessárias para o alcance dos resultados-chave. Nesse caso, sua estrutura de OKR ficaria desse modo:

  • 1. objetivo;
  • 1.1. resultado-chave;
  • 1.1.1. tarefas.

Imagine, por exemplo, que um dos seus resultados-chave é “crescer em 15% sua carteira de clientes”, algumas tarefas poderiam ser:

  1. fazer 100 ligações de prospecção por dia;
  2. enviar 300 e-mails com cupons promocionais para novas compras;
  3. reduzir em R$ 10,00 o preço total do meu produto.

Perceba que, diferente do objetivo e resultados-chave, as tarefas não funcionam exatamente como resultados futuros desejados. São coisas mais práticas, que dependem essencialmente de colocar a “mão na massa”.

No entanto, a ideia é que, ao realizar as tarefas, você também alcançará os resultados-chave e, por consequência, o objetivo principal da empresa. Portanto, cria-se uma estrutura correlacionada de conquistas.

Envolva sua equipe de trabalho

Não há um número específico de OKRs que sua empresa pode ter, mas é interessante que fique entre 3 ou 5 OKRs. Também é possível que cada um dos setores criem seus próprios OKRs e até os times de trabalho. No entanto, esses OKRs devem sempre olhar para um mesmo horizonte.

Para tornar o processo de criação dos OKRs mais estimulante, aproveite para envolver sua equipe de trabalho. Os profissionais podem (e até devem) fazer parte do processo de planejamento, delimitando os resultados para o futuro da empresa, departamento ou equipe. Assim, o nível de motivação dos talentos será superior.

A recomendação é de que 60% dos OKRs sejam definidos sentido bottom-up, ou seja, pelos próprios colaboradores responsáveis pelas atividades deles. O restante, portanto, é definido top-down, vindo da diretoria e dos gestores.

Ainda, é ideal que mesmo que os objetivos principais sejam definidos em longo prazo, como anualmente, eles sejam divididos em resultados trimestrais, que devem ser acompanhados semanalmente.

[eBook] O ABC da Pesquisa de Satisfação: como implantar e melhores modelos

O ABC da Pesquisa de Satisfação

Quais os exemplos de OKR na prática?

Imagine, por exemplo, que o relacionamento com seus clientes anda mal e que a rotatividade está alta. Logo, você decide definir um OKR pensando nos seus consumidores. Uma estrutura de OKR interessante é:

  • objective: deixar os clientes apaixonados pela nossa marca.
  • key result 1: reduzir a rotatividade (churn rate) de clientes em 5%;
  • key result 2: aumentar o nível de lealdade (NPS) em 10 pontos;
  • key result 3: recuperar 8% dos clientes perdidos no último trimestre.

Imagine, agora, que seu objetivo é ter uma maior participação de mercado. Um bom OKR é:

  • objective: dominar o mercado regional em número de peças vendidas.
  • key result 1: crescer em 15% nossa carteira de clientes;
  • key result 2: ampliar nosso market share (participação de mercado) em 5%;
  • key result 3: inaugurar mais 2 unidades de negócios.

Veja, agora você está por dentro do assunto. O método OKR é crucial e pode alavancar os resultados do seu empreendimento. No entanto, é preciso usá-lo com acerto.

Tudo começa com a definição do seu objetivo, logo depois é preciso definir os resultados-chave e pequenas tarefas. A ajuda da equipe deve ser bem-vinda.

Gostou do nosso artigo? Aproveite para continuar aprendendo sobre métodos gerenciais. Então, aproveite para descobrir o que é cultura data driven e como ela pode ajudar a alavancar os resultados da sua empresa!

Melhore a conexão com seus clientes através do Movidesk. Teste grátis!

Deixe seu comentário