O que é growth hacking e como aplicá-lo na empresa?

O growth hacking promove um crescimento acelerado para a empresa, tornando-a maior e mais relevante no mercado. Para aplicar esse método, você deve construir uma equipe de growth, identificar problemas, concentrar-se em áreas estratégicas, gerar e experimentar ideias, analisar resultados e promover melhorias.

growth hacking

Para compreender o que significa growth hacking, começaremos pela análise do nome: growth vem do inglês e tem o sentido de “crescimento” ou “expansão”. Já o termo hacking é um pouco mais difícil de traduzir diretamente, mas você pode entendê-lo como “solução rápida”.

Sendo assim, growth hacking é um tipo de solução que objetiva promover um crescimento significativo e acelerado para a empresa, tornando-a maior e mais relevante no mercado. Essa solução baseia-se em ciclos de definição de hipóteses e testagem, que têm o intuito de identificar e padronizar o que funciona no negócio, deixando de lado o que não funciona.

Um pouco mais difícil é compreender como aplicar o growth hacking na empresa e garantir o alcance de ótimos resultados. Por isso, separamos 6 dicas especialmente para você!

E-book - Movidesk - Raio-x do TI brasileiro

1. Construa sua equipe de crescimento

Para utilizar o growth hacking, é importante contar com uma equipe focada no crescimento, que será responsável por identificar problemas, além de propor e testar soluções. Além disso, esse time é encarregado de entregar relatórios de progresso aos líderes, explicitando seus principais resultados.

O ideal é que a equipe seja diversificada, com profissionais de diferentes áreas — como engenharia de software, gestão de projetos e inovação. Essa diversificação é útil para que os problemas sejam tratados por meio de diferentes ângulos e, assim, solucionados com mais precisão.

Também é importante que exista um líder growth, que comumente é um chefe (CTO, CIO, CMO, etc) ou diretor-executivo da empresa. Esse líder é responsável por engajar a equipe e selecionar os problemas prioritários, além de definir metas e prazos para seus liderados.

2. Identifique quais problemas precisam ser solucionados

Toda empresa tem problemas. Muitos, diga-se de passagem. A insatisfação do cliente ou o baixo market share são exemplos disso, mas há problemas que são mais complexos de visualizar, embora ainda estejam lá — é o caso de pequenos bugs no website da empresa, por exemplo.

Portanto, com a equipe growth, concentre-se em identificar quais gargalos existem e podem estar afetando o crescimento da empresa. Faça uma lista dos maiores problemas, assumindo uma ordem de prioridade (do mais importante para o menos importante).

Você não conseguirá resolver todos os problemas de uma vez só, afinal, os recursos que pertencem à empresa (como tempo, energia e dinheiro) são limitados. Então, concentre-se em alguns poucos de cada vez, depois identifique e inclua novos problemas à lista.

3. Concentre-se em áreas consideradas estratégicas

Aqui, é importante lembrar que growth hacking é uma solução focada em crescimento. Portanto, não é muito útil para essa área resolver problemas de logística (como atrasos com fornecedores) ou de recursos humanos (como evasão de talentos). O foco é crescimento, sempre. Nesse sentido, existem quatro principais áreas consideradas estratégicas para o growth, que são: aquisição, ativação, retenção e monetização, respectivamente.

Aquisição refere-se à obtenção de mais clientes, avolumando sua base. Ativação é o ato de tornar esses clientes usuários ativos, aqueles que não apenas têm um cadastro no sistema. Retenção significa mantê-los por longo prazo e de forma rentável, o que leva à monetização.

É possível identificar uma infinidade de problemas que estão ligados a tais áreas, faça isso com sua equipe growth e depois passe para a próxima etapa: a geração de ideias.

[Kit] Materiais para reter clientes e dar um up no atendimento!

Kit rentenção de clientes

4. Gere muitas ideias para cada problema

Com base nos problemas que você identificou, é hora de gerar ideias para solucioná-los. É muito importante que você e sua equipe growth não se preocupem em gerar grandes ideias (que são difíceis de aparecer). Gere ideias pequenas, funcionais e de simples aplicação.

Para tanto, peça que cada um dos talentos ofereça ideias para testar. Utilize uma caixinha de sugestões ou um software especializado. Em seguida, avalie cada uma das ideias e classifique-as com base na relevância e na facilidade de aplicação (com notas de 1 a 5, por exemplo). Depois, faça um ranking das mais bem pontuadas, que depois serão testadas.

Outra possibilidade é utilizar reuniões de brainstorming, nas quais cada talento oferece sua ideia, e as melhores, ao longo da reunião, são triadas. Tome cuidado, porém, para que seus liderados não se sintam limitados, caso você opte por rejeitar algumas das ideias.

5. Experimente as ideias que foram triadas

Até aqui, você já formou sua equipe, identificou os principais problemas (ligados às áreas estratégicas) e suas potenciais soluções. É hora de começar com a etapa de testes. Isso quer dizer que você terá de colocar as ideias em prática e avaliar seus resultados.

Imagine que uma das ideias é incluir um botão vermelho piscando com letras garrafais “CADASTRE-SE AQUI, AGORA”, no seu site. Você decide testá-la. Para tanto, faz um teste A/B, de antes e depois, no intuito de avaliar se o tal botão aumentou a aquisição.

O ideal é testar muitas ideias, inclusive simultaneamente. Alguns testes (como o A/B) já são bem conhecidos, outros terão que ser modelados por sua equipe growth. O que determinará se a ideia é bem-sucedida e merece ser implementada é o resultado do teste.

6. Analise os resultados e, então, promova melhorias

Por fim, é hora de analisar os resultados de cada um dos seus experimentos. Alguns podem dar muito certo e contribuir para alavancar suas métricas (de aquisição, ativação, retenção e monetização). Outros vão simplesmente falhar (e isso é natural).

Cada uma das ideias deve ser tratada com base nos seus resultados. Se deram certo, aproveite para padronizá-las e efetivamente adotá-las na empresa. Se deram totalmente errado, descarte-as e passe para a próxima. Ainda, é possível que algumas precisem ser repetidas ou ajustadas em pequenos pontos, demandando um esforço adicional do time.

O mais importante é que cada ideia e experimento agregou mais know-how ao time de growth hacking, que agora conhece novos hackers para fazer a empresa crescer e otimizar sua base de clientes. Assim, todos — empresa, talentos e clientes — são beneficiados.

Veja, agora você sabe exatamente o que é growth hacking e como utilizar esse método dentro do seu negócio. Não é uma tarefa fácil, demanda muita energia e tempo do time, além de incontáveis experimentos, mas certamente pode garantir que a empresa seja mais próspera e supere seus competidores. Desse modo, o crescimento será mais rápido e significativo.

E então, você gostou do nosso artigo? Aproveite para compartilhar conosco suas principais dúvidas, sugestões ou experiências com growth hacking. Queremos ouvir você!

Teste o Movidesk!

Deixe seu comentário