5 principais indicadores financeiros e seus impactos nas decisões

Rentabilidade sobre patrimônio líquido, nível de liquidez corrente, nível de endividamento, retorno sobre o investimento e margem líquida do exercício. Estes são os 5 principais indicadores financeiros que devem ser levados em consideração na hora de tomar decisões estratégicas. Entenda melhor neste post!

Gerente analisando indicadores financeiros

No mundo dos negócios, boa parte das decisões podem ser traduzidas como resultados financeiros. Algumas estratégias ampliam o desempenho da empresa, enquanto outras deixam as coisas mais difíceis. Por isso, é preciso conhecer seus indicadores financeiros.

Alguns dos indicadores mais importantes estão ligados à rentabilidade do negócio e ao retorno obtido com certos investimentos, assim como com o endividamento e liquidez do empreendimento.

Nos tópicos seguintes, vamos aprofundar mais no assunto. Explicaremos com clareza quais são e para que servem os indicadores financeiros, além de mostrar como mensurá-los. Boa leitura!

    [eBook] Como medir o sucesso da sua empresa?

    O ABC da Pesquisa de Satisfação

    O que são e para que servem os indicadores financeiros?

    Existem muitos indicadores financeiros. Na medida em que a empresa cresce, torna-se possível analisá-la de diferentes pontos e por meio de diferentes relatórios financeiros, como o balanço patrimonial (BP) e o demonstrativo de resultados do exercício (DRE).

    Para ficar mais fácil, pense nesses indicadores como uma espécie de termômetro. Com eles, é possível saber se o negócio nutre boa saúde econômico-financeira, assim como diagnosticar eventuais fraquezas que precisam ser corrigidas ao longo do tempo.

    Há uma enorme quantidade de benefícios nessa prática, sendo alguns dos principais:

    • Desenvolvimento de uma visão precisa do negócio;
    • Identificação de “gargalos” que precisam ser corrigidos;
    • Redução de custos e despesas não estratégicas;
    • Aumento da rentabilidade do empreendimento;
    • Tomada de decisão gerencial baseada em evidências.

    Tendo isso em vista, percebe-se a importância de conhecer os principais indicadores e saber como analisá-los. Além de melhorar os resultados do negócio, aumenta a confiança do gestor e a previsibilidade das decisões. Adiante, apresentamos os principais indicadores.

    Quais os 5 principais indicadores financeiros para monitorar?

    Uma análise financeira básica gira em torno de três tipos de indicadores: rentabilidade, endividamento e nível de liquidez do negócio. Também é importante considerar o retorno sobre investimento (ROI) e a margem líquida do exercício. Explicamos melhor agora.

      [Ferramenta] Diagnóstico de gestão de atendimento

      Faça um diagnóstico gratuito do seu negócio e descubra pontos de melhorias para oferecer uma experiência incrível ao seu cliente!

      Diagnóstico de gestão de atendimento

      1. Rentabilidade sobre patrimônio líquido

      Um indicador quase obrigatório é o ROE (Return On Equity). Ele mensura a rentabilidade sobre o patrimônio líquido do empreendimento, que é o capital que pertence aos sócios ou acionistas. Para calculá-lo, basta utilizar a seguinte fórmula:

      ROE = lucro líquido / patrimônio líquido

      Quanto maior o ROE, melhor. Significa que a empresa está conseguindo recompensar seus sócios ou acionistas acima de um custo de oportunidade. Por outro lado, se a rentabilidade é baixa, é sinal de que o empreendimento não é tão atraente assim.

      2. Nível de liquidez corrente

      Outro indicador financeiro importante é a liquidez, que reflete a capacidade da empresa para pagar suas dívidas em determinado período. Uma liquidez elevada pode representar um negócio seguro e com potencial para pagamento dos fornecedores. Veja a fórmula:

      Liquidez corrente = R$ ativos circulantes / R$ passivos circulantes

      Ou seja, a liquidez é calculada ao relacionar os ativos (bens e direitos) de curto prazo (até 365 dias) com os passivos (obrigações) de curto prazo (até 365 dias). Esses dados são obtidos por meio do balanço patrimonial (BP), sendo ideal a utilização do relatório mais atual.

      Existem algumas variações do cálculo da liquidez, como a liquidez seca (que desconta os estoques do negócio) e a liquidez geral (que relaciona os ativos e passivos totais). A liquidez corrente, entretanto, é uma das mais utilizadas e confiáveis para análise financeira.

      3. Nível de endividamento

      Toda empresa conta com algo chamado de estrutura de capital. Essa estrutura é composta por dívida (recursos de terceiros) e capital próprio. Sendo assim, o nível de endividamento calcula a proporção de dívida, dado o capital total da empresa. Seu cálculo é o seguinte:

      Endividamento = capital de terceiros / ativo total

      É importante destacar que algum grau de endividamento é saudável e pode aumentar o retorno sobre patrimônio líquido. Entretanto, quanto o endividamento é muito elevado, a empresa torna-se arriscada e pode ter dificuldades para pagar seus credores.

      4. Retorno sobre o investimento

      O retorno sobre investimento (ROI) é um indicador bem flexível. Ele pode ser utilizado nos diversos setores da empresa e no contexto de diversos investimentos. Seu objetivo é muito simples: avaliar se seus investimentos estão valendo a pena. Veja como calcular:

      ROI = ((ganho obtido – investimento inicial)/investimento inicial) x 100

      Em geral, quanto maior o ROI de um investimento, melhor. É sinal de que ele está gerando bons resultados para a empresa e pode até mesmo ser ampliado. Por outro lado, se um ROI é baixo, quer dizer que o investimento deve ser repensado ou simplesmente eliminado.

      5. Margem líquida do exercício

      Um quinto indicador financeiro muito importante é a margem líquida. Esse indicador ajuda avaliar o percentual de receita líquida que se transformou em lucro líquido, tendo em vista certo exercício financeiro. Seu cálculo é muito simples, veja:

      Margem líquida (em %) = receita líquida do exercício / lucro líquido

      A receita líquida refere-se ao que efetivamente foi recebido pela empresa em determinado período, deduzindo-se descontos e impostos sobre consumo. Já o lucro líquido é o resultado final, o que “sobra” depois que a empresa paga todos os seus custos e despesas.

      A margem líquida ideal depende da estratégia do negócio. Em alguns casos, a margem baixa é compensada pelo giro do ativo (a quantidade vendida). Então, para avaliar se a sua margem líquida está boa ou ruim, é preciso pensar na estratégia competitiva do negócio.

        [Kit] Materiais para reter clientes e dar um up no atendimento!

        Kit rentenção de clientes

        Como monitorar e utilizar esses indicadores nas decisões?

        Primeiro, é preciso ter muita clareza sobre quais indicadores financeiros você vai utilizar. Eles devem refletir a estratégia do seu empreendimento, bem como seus objetivos de médio e longo prazo. Os indicadores apresentados neste post são alguns dos mais relevantes.

        Além disso, é preciso ter muita consistência. Levante os indicadores, trimestre após trimestre (talvez até em períodos menores), e avalie seu progresso ou declínio deles. Desse modo, caso precise, terá mais tempo para reagir, prover ajustes pontuais e corrigir desperdícios.

        Veja, agora você está por dentro do assunto! Um último adendo: com o suporte de boas tecnologias gerenciais, todo o trabalho de levantamento e análise dos indicadores pode ser facilitado. Ou seja, terá mais velocidade, precisão e economia ao longo do processo.

        Gostou do nosso conteúdo? Então, que tal compartilhá-lo em suas redes sociais e manter seus colegas de trabalho por dentro do tema?

        Aproveite para conhecer o Movidesk, um sistema de atendimento que une recursos de Help Desk e Service Desk e pode ser utilizado tanto para a comunicação com os clientes, quanto para a comunicação interna.

        Entre em contato e agende uma demonstração agora mesmo!

        Faça uma demonstração gratuita do Movidesk!

        Deixe seu comentário