Por que a coleta de dados é tão importante para a tomada de decisão?

Criamos um artigo especialmente para você. Com ele, vai entender como a coleta de dados pode ajudar na tomada de decisão acertada. Confira!

coleta de dados para tomada de decisão

Estima-se que, ao longo do dia, um adulto comum tome 35 mil decisões. Algumas são simples, como o que vestir ou almoçar. No entanto, no ambiente de trabalho, uma tomada de decisão tende a ser mais complexa.

Por exemplo, um executivo, entre muitas outras coisas, precisa decidir quem contratar, demitir ou treinar, além de quando baixar preços ou lançar novos produtos. Se uma dessas decisões falhar, toda a empresa é comprometida. Portanto, não é prudente acreditar no achismo: é preciso se basear em informações para uma boa tomada de decisão.

Nesse contexto, a coleta de dados assume um papel crucial. O agrupamento de certos dados traz informações estratégicas, que podem ser usadas para tomar decisões acertadas. Continue lendo e saiba mais!

Teste a velocidade da sua tomada de decisão

O que é e como funciona a análise de dados para tomada de decisão?

Imagine uma cabeça de alho. Ela é composta por vários dentes, geralmente entre 9 e 12. Logo, o conjunto de “dentes de alho” é que forma esse legume. Com os dados, não é muito diferente. São eles que, juntos, constroem informações úteis aos líderes empresariais.

Sendo assim, o dado pode ser conceituado como o elemento inicial de qualquer ato de conhecimento. Dados, por si só, não servem de muita coisa. 85%, homem, mulher, gostou — veja, são apenas fragmentos. Mas, quando estruturados e contextualizados, tudo muda.

Estima-se que, até 2020, a internet terá 40 trilhões de gigabytes de dados disponíveis. A questão é: como essas unidades básicas de conhecimento podem ser aproveitadas?

É exatamente com essa finalidade que cientistas da informação investem em mecanismos de interpretação de grandes volumes de dados (big data) e ferramentas de análise para tomada de decisões acertadas (business intelligence ou apenas BI).

O processo de análise de dados obedece a algumas etapas: coleta, preparação, mineração e análise. O objetivo é agrupar essas unidades iniciais e extrair informações valiosas, capazes de levar ao conhecimento e à vantagem competitiva.

No entanto, é importante que os dados tenham 5 competências: veracidade, valor, volume, variedade e velocidade — o que é chamado de 5 Vs do big data. Portanto, não basta ter informações. É preciso saber como usá-las para extrair as melhores decisões.

Como exemplo, imagine o registro de ponto dos empregados — são só horários. Quando esses dados são selecionados, estruturados e analisados, o gestor sabe quais são os talentos mais e menos assíduos. Com essa informação, pode demitir ou promover alguém.

Como a coleta de dados pode ajudar a empresa na tomada de decisão?

Como se pode observar, há um processo linear: os dados geram informações, que geram informações aos líderes e operários. Logo, todo o conhecimento — e, portanto, o potencial produtivo de uma empresa — depende disso. Mas vamos analisar o assunto de forma mais detalhada e compreender as vantagens da coleta de dados para a tomada de decisão.

Acerto na tomada de decisão

Os gestores precisam tomar decisões importantes, com rapidez e acerto, e essa não é uma tarefa fácil. Contar com a intuição, em um momento de tanta competitividade, não é o adequado. O líder precisa assumir um baixo grau de erro para decidir corretamente.

Nesse caso, os dados permitem que o gestor se aproxime do “verdadeiro valor”. Isto é, propiciam a ele maiores chances de acerto, mitigando o número de falhas ao longo do expediente. Não por acaso: os dados são o elemento inicial do conhecimento.

Progresso contínuo da empresa

Toda empresa está inserida em um sistema maior e muito mais complexo, o mercado. Ele é composto de compradores e vendedores, regido pela oferta e demanda, e forja competidores cada vez mais audaciosos. Logo, se uma empresa não melhora sempre, ela vai fracassar.

Os dados corretos ajudam a identificar o que não vai bem e precisa de ajustes. Eles podem ser compreendidos como métricas de desempenho ou subsidiar cálculos de indicadores-chave de desempenho. Portanto, revelam o status quo da empresa e permitem o progresso.

Vantagem competitiva

Michael Porter, estrategista de Harvard, afirma que a essência da estratégia é relacionar a empresa com seu mercado — onde há clientes, concorrentes, ameaça de novos produtos, novos entrantes e fornecedores. É preciso considerá-los para obter vantagem competitiva.

Nesse caso, os dados podem servir como parâmetros para análise do que acontece fora da empresa, permitindo que a empresa aprenda e formule poderosas estratégias competitivas. Eles podem ser obtidos por meio de benchmark ou pesquisas avançadas.

Antecipação aos acontecimentos

É realmente impossível prever o futuro. Aqueles que tentaram falharam terrivelmente. Thomas Watson, presidente da IBM, em 1943, disse que só haveria espaço para 5 computadores no mundo. E não poderia estar mais errado. Então, como o gestor pode se antecipar?

Com a ajuda de dados e de bons sistemas de análise (BI), o gestor pode identificar certos padrões no comportamento dos concorrentes, mercados ou consumidores, e projetar isso para um horizonte de curto prazo. Logo, nesse nível, é possível prever determinados padrões e se antecipar (claro, assumindo uma margem de erro).

[eBook] Base de conhecimento: como escrever conteúdos eficazes

Base de conhecimento: como escrever conteúdos eficazes

Quais informações precisam ser priorizadas?

Muitas informações precisam ser priorizadas, e isso depende do gestor que as seleciona. Para um gerente de RH, o mais óbvio é priorizar informações da administração de recursos humanos. Para o líder da área financeira, no entanto, essas informações não são tão úteis.

Em nível organizacional, no entanto, é fundamental priorizar as informações relacionadas ao cliente. Toda empresa tem duas missões: primeiro, conquistar clientes. Depois, mantê-los por longo prazo, de maneira rentável. E isso depende do quanto se conhece o cliente.

Em vista disso, dados e informações dos consumidores — como volume de compra, hábitos de consumo, reclamações e sugestões — são verdadeiras fontes de riqueza para a empresa. Ao usá-las corretamente, é possível melhorar os processos e encantar o público-alvo.

Há muito o que discutir sobre o assunto. A coleta de dados pode facilitar a tomada de decisão, criar vantagem competitiva e até antecipar alguns acontecimentos. Para tanto, o gestor deve obter as informações certas (dotados dos 5 Vs) e priorizar o conhecimento mais relevantes à empresa, geralmente relacionadas ao atendimento dos clientes finais.

Agora que está por dentro do tema e sabe como fazer uma boa tomada de decisões, aproveite para testar gratuitamente o Movidesk e descobrir tudo o que ele pode fazer pela sua empresa. Vamos lá!

Deixe o Movidesk ajudar com sua tomada de decisão!