SaaS: o que é, benefícios e exemplos práticos

O Software as a Service é uma forma de distribuição de software e serviços inovadora. Com armazenamento na nuvem, dados seguros e muita agilidade, empresas otimizam e economizam. Saiba mais sobre o assunto neste post!

O que é Saas

Muitos gestores ainda não sabem o que é SaaS, e a falta de conhecimento no meio empresarial cria uma grande barreira, privando as empresas de um diferencial competitivo.

Por isso, preparamos um post para você sair na frente e aprender tudo sobre esse assunto. Pronto para começar?

O que é SaaS?

O SaaS, sigla para Software as a Service ou (Software como um Serviço), é uma maneira de entregar sistemas e aplicativos pela internet, e de armazenar e manipular dados. Uma plataforma de serviços SaaS dispensa a aquisição, instalação e manutenção de softwares e equipamentos, uma vez que tudo fica disponível online. 

O provedor do serviço, por outro lado, assume toda a responsabilidade pelas atualizações e gerenciamento de acessos, incluindo a segurança da informação, disponibilidade e desempenho.

Porém, antes de explicarmos como o SaaS funciona, precisamos fazer uma pergunta: você sabe o que é cloud computing? Se não faz ideia do que esse termo significa, veja o vídeo abaixo antes de continuar a leitura, ok? Entender esse conceito é essencial para compreender o que é SaaS. 

Afinal, como funciona o SaaS?

Uma boa maneira de entender o que é SaaS é imaginar um banco que protege a privacidade de cada cliente ao fornecer seus serviços financeiros, de maneira confiável, segura e em grande escala. 

Nesse exemplo, todos os clientes podem utilizar os mesmos serviços e tecnologias sem preocupação com o cruzamento de informações entre os usuários. Em uma plataforma SaaS, acontece exatamente o mesmo. Veja agora algumas características que definem bem o modelo SaaS.

1. Hospedagem dos serviços na nuvem

Todos os usuários e aplicativos compartilham uma única infraestrutura, que é mantida e gerenciada por meio de um ou mais servidores centrais. Esse modelo de infraestrutura permite que as atualizações e manutenções sejam realizadas apenas uma vez. E melhor, em um único local, acelerando o processo de melhorias e desenvolvimento dos serviços oferecidos.

Saiba mais: Computação em nuvem: conheça as principais modalidades de serviços.

2. Personalizações

Cada usuário pode personalizar facilmente as aplicações desejadas para adequar seus processos de negócios, sem afetar a infraestrutura geral. Devido à maneira como o SaaS é arquitetado, essas mudanças podem ser únicas para cada empresa e sempre preservadas durante as atualizações e manutenções.

[eBook] Dos benefícios aos recursos: tudo o que você queria saber sobre sistemas de atendimento

Dos benefícios aos recursos: tudo o que você queria saber sobre sistemas de atendimento

3. Acesso controlado

O acesso aos dados é feito por meio de login e senha a partir de qualquer dispositivo conectado à internet. Esse processo é feito de maneira eficiente, gerenciando privilégios de acessos, monitorando o uso de dados e assegurando que todos os usuários devidamente autorizados possam ver a mesma informação ao mesmo tempo.

Quais os benefícios em adquirir um modelo SaaS?

Saber o que é SaaS e implantar esta tecnologia no seu negócio vai estabelecer um diferencial e tanto. Afinal, empresas que hospedam seus serviços em nuvem podem elevar o grau de eficiência aplicada aos processos, melhorando os resultados obtidos. 

E aí, quer conhecer os outros benefícios que esse modelo de serviço proporciona? É só continuar acompanhando este post!

1. Gastos com licenciamento de software mais precisos

Os custos de licenciamento de software, muitas vezes, estão entre os principais fatores que contribuem para o peso do setor de TI no orçamento de uma empresa. Diante disso, reduzir esse gasto (ou torná-lo mais preciso) é um objetivo que faz parte do dia a dia de qualquer gestor de TI. Nesse sentido, o SaaS é considerado uma das melhores alternativas do mercado.

Com o SaaS, a empresa paga apenas pela quantidade de licenças ativas. Isso elimina drasticamente os gastos com licenças de software que não estão em uso. Com isso, a empresa pode se preparar com mais antecedência em caso de projetos ou grandes mudanças estruturais.

2. Acesso rápido a novas funções por meio de atualizações

A atualização de softwares corporativos em grandes empresas é um processo burocrático e que pode demorar meses. Gestores de TI devem passar por rotinas de homologação de sistemas, criação de uma estratégia de migração e ainda lidar com problemas de incompatibilidade. No entanto, por meio do SaaS, grande parte desses inconvenientes é eliminada rapidamente.

Como uma nova versão pode ser distribuída rapidamente, o tempo necessário para testes e migração é reduzido. Assim, a empresa pode liberar o uso de atualizações em um prazo menor, tornando os seus fluxos de trabalho mais ágeis e seguros.

3. Falhas de segurança eliminadas rapidamente

A complexidade de vírus e malwares nunca foi tão grande. Ao longo dos últimos anos, hackers criaram ferramentas para capturar e roubar informações privadas, muitas vezes explorando falhas de segurança não descobertas pela empresa desenvolvedora de um sistema. Diante disso, o gestor de TI deve estabelecer uma política de segurança robusta e abrangente.

O uso do SaaS no ambiente corporativo elimina problemas de segurança com agilidade e precisão. A empresa passa a contar com um suporte mais ágil e um sistema eficiente de rastreamento de vulnerabilidades. Assim, problemas são encontrados e eliminados antes que causem um grande impacto nas rotinas do negócio.

4. Maior performance

A execução de softwares corporativos nem sempre é feita na melhor máquina do mercado. Nesse cenário, é crucial possuir uma ferramenta de alta performance, capaz de se adaptar a diferentes sistemas. Isso influenciará diretamente em todos os índices de produtividade e qualidade dos serviços prestados pelo negócio.

Como as ferramentas são executadas diretamente no navegador, o consumo de memória e capacidade de processamento local é reduzido. Consequentemente, a empresa terá acesso a uma ferramenta com boa performance em vários tipos de computadores, tablets e celulares.

Além dessas vantagens principais, com uma plataforma SaaS a empresa ganha mobilidade corporativa e estende o negócio além do escritório. A continuidade é assegurada mesmo diante de quedas do servidor central, com acesso temporário por meio de servidores auxiliares. Ainda, esse modelo de serviço ajuda no financeiro, pois elimina a necessidade de investimento em infraestruturas de TI e aumenta a escalabilidade dos serviços.

Você também vai gostar deste conteúdo: As 7 métricas SaaS mais importantes para medir seus resultados.

É seguro usar SaaS?

SaaS e a segurança da informação

Agora que você já conheceu alguns dos principais benefícios do SaaS, chegou a hora de respondermos uma das principais dúvidas das empresas: e aí, é seguro usar SaaS?

É fato que escolher novas ferramentas para o trabalho não é brincadeira. Preservar os dados da empresa e dos clientes é de extrema importância, por isso é preciso garantir que seus softwares sejam seguros e confiáveis. E para isso, não basta contar com o apontamento automático do acesso seguro do Google.

Uma vez que a informação passou a ser patrimônio da empresa, as companhias estão cada vez mais dispostas (e preocupadas) a protegê-la de ciberataques e mau uso por parte dos colaboradores. Assim, na lista abaixo você pode conferir os itens mais importantes a serem avaliados na hora de contratar esse modelo de serviço e descobrir se é seguro usar SaaS.

1. Verifique se o fornecedor garante autenticações eficientes

Migrar de um modelo on-primises para um SaaS não precisa colocar suas operações em risco. Especialmente porque as empresas que usam computação na nuvem investem muito em tecnologia e profissionais qualificados. No entanto, a segurança de aplicativos deve ser uma preocupação desde o início.

É seguro usar um SaaS quando provedores com expertise na entrega desse tipo de serviço contam com autenticação segura e sistemas de monitoramento capazes de impedir acessos indevidos. Para garantir isso, busque as seguintes características junto ao fornecedor:

  • Conexões seguras via HTTPS;
  • Monitoramento de acessos;
  • Criptografia para proteger as informações armazenadas na nuvem;
  • SAS 70 tipo II.

Além dessas características, você também pode verificar se a prestadora de serviço possui um ISO 27001, o padrão e referência internacional para a gestão da Segurança da Informação. Essa versão da certificação garante a excelência da empresa em relação à proteção de dados, atestando a padronização de seus processos.

De forma geral, a Segurança da Informação é muito importante para as empresas SaaS, já que isso afeta diretamente sua credibilidade no mercado. Por outro lado, ela é igualmente importante para os clientes, que não precisam se preocupar com a perda ou exposição de seus dados. E a certeza de que eles estão protegidos faz com que ambos trabalhem de forma mais eficaz e tranquila.

2. Defina políticas de uso apropriadas

Políticas de uso são fundamentais para que sua empresa saiba que é seguro usar um SaaS. Por isso, defina quem tem acesso à informações sensíveis, se elas podem ser acessadas de qualquer lugar ou apenas por meio de IPs seguros e conexões autorizadas, e fortaleça a proteção em torno dos dados delicados de clientes e parceiros. Um template como o do IT Manager pode ajudar na hora de definir as regras gerais, mas alguns ajustes podem ser necessários para torná-lo ainda mais adequado à sua organização.

Também considere os fluxos de trabalho de seus colaboradores ao definir que tipo de poderes de administração eles terão em cada ferramenta. Dessa forma, cada um terá acesso apenas ao essencial para concluir suas atividades, e o risco da sua empresa vazar ou apagar informações será reduzido.

3. Confie em seu provedor, mas não esqueça do básico

Boa parte da segurança de uso em um SaaS depende do provedor do serviço, que deve ser certificado e passar por auditorias frequentes a fim de determinar sua habilidade na proteção de dados confidenciais armazenados em sua ferramenta. Entretanto, isso não significa que localmente não devam ser tomadas algumas precauções, como manter seus antivírus atualizados e implementar senhas seguras no acesso às plataformas.

Além disso, também é importante investir na criação de uma política interna de boas práticas do uso da nuvem. Assim, seus colaboradores estarão cientes das melhores maneiras de utilizar a ferramenta no dia a dia de suas atividades. Aliás, incorporar uma cultura de segurança na empresa ajuda a reforçar a inclusão dessas ações na rotina.

4. Não migre tudo para a nuvem

Toda empresa tem dados que não podem vazar de jeito nenhum. Para estes, escolha o armazenamento local e estratégias específicas para isolar essas informações do contato com pessoas não autorizadas. Deixe na nuvem aquilo que se beneficia de sua integração e proteja de outra forma dados que não precisam ser acessados com tanta frequência, flexibilidade ou sem autorização expressa.

Lembre-se também de que essas informações precisam ser tratadas de forma diferente quanto a backups, por exemplo. Isso porque o ato de salvar na nuvem é automático, já os tradicionais são manuais. Assim, é preciso incluir uma rotina para garantir a atualização desse processo e seu bom funcionamento.

Mas atenção: é possível que, ao fazer a migração (mesmo que parcialmente) para a nuvem, aqueles dados mais sensíveis fiquem armazenados em servidores esquecidos pela empresa. Isso pode ser uma grande vulnerabilidade para a segurança da sua estratégia. Para evitar essa situação, formate os hardwares em que a transferência já aconteceu e tenha sempre ciência de quem tem acesso às informações que ainda estão guardadas localmente.

Exemplos de modelo SaaS

Bom, a melhor forma de ilustrar o que é SaaS é através de exemplos práticos, certo? Embora existam aplicativos SaaS para praticamente qualquer processo de negócio que se possa imaginar, abaixo listamos dois exemplos que são mais utilizados:

1. Customer Relationship Management (CRM)

O Customer Relationship é o primeiro exemplo de o que é SaaS. No CRM, o modelo SaaS pode contribuir para:

  • Otimizar o gerenciamento de dados;
  • Fortalecer o relacionamento com os clientes;
  • Fornecer melhores informações de vendas e 
  • Automatizar inúmeras tarefas manuais executadas nos processos de vendas, marketing, atendimento ao cliente e suporte.

2. Enterprise Resource Planning (ERP)

Um sistema ERP pode ser integrado por meio de uma plataforma SaaS. É uma forma de ganhar maior controle e visibilidade das principais áreas operacionais e estratégicas da empresa, como:

  • Compras;
  • Produção;
  • Serviços;
  • Vendas;
  • Finanças;
  • Recursos humanos, 
  • Etc.

E, agora que você já sabe o que é SaaS e conhece seus benefícios, estude as necessidades de melhoria do seu negócio e comece um planejamento para levar a sua empresa a novos níveis de eficiência.

Ah, e temos mais um exemplo de SaaS que você vai amar conhecer, modéstia à parte! Nós da Movidesk possuímos um software de atendimento ao cliente que pode colocar a sua empresa em um outro patamar. Quer saber como?

Prazer, Movidesk!

O Movidesk centraliza todo o seu atendimento (e-mail, chat e telefone) para facilitar a gestão dos tickets e melhorar a produtividade do seu time. Além disso, a ferramenta automatiza processos e tarefas repetitivas com a configuração de respostas e lembretes automáticos, numa gestão inteligente e colaborativa. 

Nosso sistema é utilizado por marcas como ESPN, Mormaii, Tirolez, Hambürg Sud, Mercado Livre, Avell, Checklist Fácil e mais de 1.300 empresas em todo o Brasil. Um software completo, poderoso e seguro. Tudo isso sem deixar de ser simples e intuitivo. 

Quer comprovar se essa ferramenta é perfeita para você? Então, aproveite para testar a solução por uma semana, gratuitamente!

Experimente o Movidesk por sete dias gratuitos