Já ouviu falar em liderança situacional? Conheça 7 características

A liderança situacional é a ideia de que a postura do líder não depende apenas dele, mas também das características de toda a equipe e do ambiente de trabalho. Outros aspectos são a inteligência emocional bem desenvolvida, a visão sistêmica e a comunicação interpessoal fluida. Confira mais lendo este artigo.

Desenvolvendo a liderança situacional

Por muito tempo, a discussão sobre estilos de liderança empresarial restringia-se a três tipos: liberal, democrática e autocrática. Atualmente, no entanto, um quarto tipo de liderança tem ganhado destaque: a chamada liderança situacional.

Sua premissa é a de que a postura do líder não depende apenas das suas características pessoais, mas também das características dos liderados e do ambiente no qual a liderança é aplicada. Então, em alguns momentos, o líder pode se comportar de uma forma e, em outros, de outra forma. Ou seja, a postura do líder pode variar bastante, dada a situação.

Nos tópicos seguintes, aprofundaremos nesse tema, explicando 7 características da liderança situacional e como desenvolvê-las. Continue sua leitura e saiba mais!

    Você está sobrecarregado na gestão da sua equipe? Baixe o nosso fluxograma e aprenda a delegar tarefas agora!

    Chat em tempo real

    1. Inteligência emocional bem desenvolvida

    A liderança situacional exige um elevado grau de inteligência emocional. É preciso compreender a si mesmo, aos seus liderados e ao contexto, depois agir com precisão e foco nos resultados. Sendo assim, o desequilíbrio emocional é um grave problema.

    Segundo a psicologia, mais especificamente as teorias de Daniel Goleman, tal inteligência tem cinco pilares, que são: a autoconsciência, a empatia, a autorregulação, a motivação própria e as habilidades sociais. Juntos, tais pilares suportam grandes realizações.

    O ponto mais importante é que a inteligência emocional pode ser desenvolvida ao longo dos anos, forjando-se no interior de cada indivíduo. Assim, torna-se mais muito mais fácil aplicar a liderança situacional, avaliar o contexto e então agir adequadamente.

    2. Visão sistêmica das coisas e pessoas

    Se você prestar bem atenção, todas as coisas funcionam como um tipo de sistema. Uma empresa, por exemplo, é um sistema arquitetado com pessoas, processos, produtos e outros tipos de recursos. Sem eles, a empresa simplesmente não existiria.

    Esse sistema maior e interconectado influencia bastante o posicionamento do líder e da equipe de trabalho. Exatamente por isso, outra importante característica da liderança é a visão sistêmica. É preciso entender que as coisas estão conectadas e ser capaz de analisar essa influência.

    Para desenvolver essa característica, um importante exercício é a análise top-down. Reflita sobre como acontecimentos globais influenciam economias locais, que consequentemente influenciam indústrias, fornecedores, sua empresa, suas equipes e você mesmo.

    3. Comunicação interpessoal fluida e precisa

    Alguns estilos de liderança parecem dar pouca atenção à comunicação, como é o caso da liderança autocrática e a liberal, por exemplo. A liderança situacional depende bastante do diálogo e da interação entre líder e liderado. Sem isso, o fracasso é certo.

    Como o líder situacional não conta com um perfil rígido e imutável, seus liderados não sabem exatamente o que esperar. É possível, sim, que ele mude de postura, e é por isso que essa nova posição deve ser bem comunicada e cascateada para quem está na base.

    Nesse caso, concentre-se em aperfeiçoar sua habilidade de falar e também a de ouvir. Seja claro com os seus liderados, adote canais que facilitem a comunicação dentro da empresa e ofereça mais feedbacks às equipes. Assim, terá ums comunicação muito melhor.

    4. Habilidade de análise causa-efeito

    Outra característica importante é a habilidade de análise de causas. Pense da seguinte forma: todo efeito (seja ele negativo ou positivo) tem uma causa. Essa causa vai determinar sua estratégia de ação e o comportamento do seu time, assim como seu estilo de liderança.

    Portanto, o líder situacional deve ser muito perspicaz em diagnosticar a causa dos problemas, ainda que isso exija análises profundas. Por vezes, as causas aparentes não são as verdadeiras, sendo preciso investigar ainda mais, até encontrar a raiz do problema.

    Para essa característica, uma ferramenta que pode ajudar muito é a aplicação do diagrama de Ishikawa. Ela estimula a análise de relações entre efeitos e potenciais causas, proporcionando ao líder uma visão muito mais sistêmica e profunda da situação em questão.

      [Ferramenta] Diagnóstico de gestão de atendimento

      Faça um diagnóstico gratuito do seu negócio e descubra pontos de melhorias para oferecer uma experiência incrível ao seu cliente!

      Diagnóstico de gestão de atendimento

      5. Organização para definir e cumprir prioridades

      A liderança situacional é “8 ou 80”. Em outras palavras, ela lida com situações bem diferentes e que exigem respostas diferentes. Essas respostas devem ser específicas e muito bem delimitadas. Por isso, a aptidão para definir e cumprir prioridades é essencial.

      “Dada a situação, o que é prioridade?” — essa pergunta é natural (e por vezes despercebida) ao líder situacional. Em certos momentos, a prioridade é atender os clientes e, em outros, criar processos funcionais. É preciso ter um senso claro do que é prioritário e fazer isso.

      Tendo em vista essa característica, algo muito importante é desenvolver sua gestão do tempo. Lembre-se de que invariavelmente seu dia tem 24 horas e você precisa utilizá-las com sabedoria, priorizando o que importa e eliminando tudo aquilo que considera trivial.

      6. Alta necessidade de cognição

      Uma variável psicológica interessante é a necessidade de cognição (ou need for cognition, NFC). Pessoas de baixa atividade por cognição preferem não fazer muito esforço cognitivo, enquanto aquelas com alta NFC refletem bastante sobre pessoas, coisas e situações.

      Nesse caso, uma interessante característica da liderança situacional é a necessidade de cognição do seu líder, que comumente é alta. É preciso um esforço mental maior para entender o contexto, relacioná-lo aos recursos disponíveis e decidir a melhor postura.

      Felizmente, a necessidade por cognição também pode ser desenvolvida. Engaje-se mais em analisar cenários e resolver enigmas. Vale até mesmo se envolver em tarefas lúdicas, como jogar caça-palavras e/ou preencher palavras cruzadas.

        Quer saber onde você está falhando com o seu cliente? Então, esse fluxograma é para você!

        Onde você está falhando com o seu cliente?

        7. Disposição para aprender continuamente

        Uma última característica é a disposição para aprender continuamente. O líder situacional sabe que tudo está mudando, inclusive os problemas, tornando-se necessário agir de forma diferente. Por esse motivo, aprender continuamente é quase uma obrigação.

        O líder situacional aprende por meio de uma série de canais, tornando-se muitas vezes um autodidata. Logo, ele consegue acessar novas fontes de conhecimento, extrair aprendizado e transformar a si mesmo. Assim, seu crescimento pessoal é frequente ao longo dos anos.

        Veja, agora você está por dentro do assunto, sabe o que é liderança situacional, qual a sua importância e como desenvolvê-la dentro do negócio. É importante não confundir esse tipo de liderança com indecisão ou medo. O líder situacional tem uma postura firme, mas que varia de acordo com o contexto, a maturidade da equipe e os recursos disponíveis.

        Gostou do nosso artigo? Está pronto para desenvolver-se como líder? Então confira também: guia completo para liderança empresarial

        Aproveite para conhecer o Movidesk, um sistema Help Desk com mais de 70 indicadores de desempenho.

        Conheça o Movidesk!

        Deixe seu comentário