O que é intraempreendedorismo? Veja por que incentivá-lo na empresa

O intraempreendedorismo está ligado à geração e execução de ideias que partem de funcionários inovadores. Ao incentivá-lo, você faz com que o time enxergue os problemas de uma forma diferente, aumenta o grau de inovação, atrai mais talentos, estimula a competitividade interna e melhora as métricas de RH.

intraempreendedorismo

Nos últimos anos, o termo intraempreendedorismo ganhou destaque. É comum vê-lo associado a temáticas de inovação, empreendedorismo, competitividade e administração de Recursos Humanos. Mas, afinal, o que realmente significa intraempreendedorismo?

Grosso modo, é uma referência ao empreendedor interno — ou seja, ao profissional que já faz parte do quatro de trabalho, mas que consegue olhar para os problemas da organização por um ângulo diferente e propor soluções fora do lugar-comum.

No artigo de hoje, vamos explicar detalhadamente o que é intraempreendedorismo, quais seus benefícios e como incentivá-lo na empresa. Então, continue com a leitura!

Primeiro, o que é intraempreendedorismo?

Em vários aspectos, o Google é uma referência no mundo dos negócios, inclusive no intraempreendedorismo. O gigante de tecnologia conta com uma incubadora para que seus funcionários mais empreendedores iniciem suas startups sem sair da empresa.

Chamado de Área 120, funciona assim: os funcionários interessados apresentam seus projetos à incubadora e, se aprovados, tais talentos podem trabalhar em tempo integral para desenvolvê-los, em parceria com o próprio Google.

Essa caso ilustra com muita qualidade o que é intraempreendedorismo: é empreender dentro da empresa, sem precisar sair para iniciar um projeto ou solução do zero.

Um adendo importante: você não precisa ter os recursos e a cultura do Google para incentivar o intraempreendedorismo. Sabe aquela ideia criativa que um talento apresentou para melhorar os resultados da empresa? Então, se for boa, deixe-o colocar em prática.

Foi isso o que aconteceu com a Positivo Informática, que antes era uma faculdade. Um dos seus professores apresentou a (incrível) ideia de produzir computadores. A reitoria aceitou e o local começou a montar computadores para o mercado educacional. Deu certo! Atualmente, a Positivo é uma gigante da tecnologia e o tal professor, presidente da empresa.

Novamente, note que intraempreendedorismo está ligado à geração e execução de ideias que partem de funcionários inovadores. Assim, todos, talentos e empresa, são beneficiados.

Movidesk - E-book - Manual da Motivação para o engajamento profissional

Quais os benefícios do intraempreendedorismo para a empresa?

O intraempreendedorismo oferece uma série de benefícios aos funcionários. Eles podem se sentir mais livres para tocar projetos próprios, assim como experimentar um maior nível de bem-estar e qualidade de vida. E a empresa, o que ganha? Adiante, explicamos isso!

Identificação e solução de problemas

Qualquer empresa que deseja ser bem-sucedida deve ser hábil em identificar e solucionar problemas — e acredite, eles existem. O estímulo ao intraempreendedorismo faz com que os funcionários enxerguem os problemas de modo diferente, objetivando solucioná-los.

Assim, na medida em que os talentos identificam e propõem soluções aos gargalos, cabe à empresa triar e executar as boas ideias. Inicia-se, então, um ciclo de melhoria contínua, no qual os problemas são sistematicamente eliminados pelos empreendedores internos.

Aumento do grau de inovação

No intuito de solucionar problemas, algumas ideias podem dar início a bens, serviços ou processos realmente inovadores para a empresa. Sendo assim, há mais chances de que o empreendimento saia do lugar-comum e conquiste resultados grandiosos.

Não é por menos que as empresas que valorizam o intraempreendedorismo são, também, algumas das mais inovadoras. Um bom exemplo é a 3M, que produz cerca de 3 mil patentes por ano e estimula seus talentos a investirem 15% do seu tempo em projetos paralelos.

Aumento da atração de talentos

Encontrar e contratar talentos não é tarefa fácil. Sabe-se, por exemplo, que 88% dos executivos consideram desafiador encontrar mão de obra qualificada. Exatamente por isso, muitas empresas contam com programas dedicados à atração e retenção de talentos.

O intraempreendedorismo é um forte ímã de talentos, sobretudo daqueles que têm um time empreendedor. Assim, a empresa terá um maior número de candidatos para cada vaga aberta e poderá selecionar um talento bem alinhado à sua cultura organizacional.

Baixe agora o guia: do recrutamento ao onboarding

Estímulo à competitividade interna

O intraempreendedorismo estimula um determinado grau de competitividade dentro da empresa, na qual os profissionais tentam identificar gargalos e propor soluções com mais frequência e qualidade que seus colegas de trabalho. Isso é ótimo para a empresa.

Isso também é bom para os talentos, pois estimula o crescimento de todos. Eles podem superar seus limites, aprender coisas novas e conduzir projetos fora do lugar-comum. Claro, é preciso criar uma cultura de transparência para que não exista a sensação de injustiça.

Melhoria das métricas de RH

Há uma série de métricas de RH que impactam significativamente os resultados da empresa. O absenteísmo, presenteísmo, turnover e nível de produtividade dos profissionais e equipes são bons exemplos disso. Se eles melhoram, a empresa é beneficiada.

Com o intraempreendedorismo, todos os profissionais se sentem melhores no local de trabalho — afinal, não é qualquer empresa que dá liberdade para empreender e pensar fora da caixa. Por consequência, as diversas métricas de RH tendem a melhorar bastante.

Como colocar o intraempreendedorismo em prática?

Entendido o que é e qual a importância do intraempreendedorismo, uma última questão é: como fazer com que isso se torne realidade dentro da empresa? Não existe uma “fórmula mágica”, sendo preciso avaliar o que funciona na sua empresa.

O mais importante é fazer com que a alta administração “compre” o assunto. Se os executivos, a partir do CEO, não consideram o intraempreendedorismo algo importante e digno de crédito, dificilmente ele ganhará espaço. Adiante, apresentamos outras dicas:

  1. Crie uma cultura do tipo “pense como dono”;
  2. Pare imediatamente de microgerenciar seus talentos;
  3. Invista em políticas de empoderamento do time (empowerment);
  4. Invista na comunicação interna empresarial;
  5. Aprenda a ouvir a ideia dos funcionários e gerar feedbacks;
  6. Permita que boas ideias sejam executadas;
  7. Selecione mais profissionais com perfil empreendedor;
  8. Recompense propostas com potencial inovador.

Esse processo pode demorar um tempo, afinal, depende de uma mudança cultural, em especial para as empresas já estabelecidas. Porém, com esforço e foco, quase tudo é possível.

Agora você está por dentro do tema e entende o intraempreendedorismo. Lembre-se de que o assunto pode transformar sua organização, tornando-a mais próspera e competitiva; também pode gerar mais bem-estar aos talentos. Para isso, comece pela alta liderança, mostrando que o tema é digno de crédito, em seguida adote as demais dicas apresentadas.

Gostou do nosso artigo, não é mesmo? Aproveite para continuar aprendendo conosco e ficar sempre por dentro das nossas novidades. É só acessar nossas redes sociais, como o Instagram, LinkedIn e Facebook!

Teste o Movidesk gratuitamente!

Deixe seu comentário